Salas de cinemas ainda atraem o seu público

Apesar do mercado de plataforma de streaming como a Netflix ganhar um espaço impressionante nos últimos anos, ainda existem pessoas que estão interessadas nas tradicionais salas de cinemas . Os tempos não são mais como antes, como em 1975, quando o filme “Tubarão” do cineasta Steven Spielberg, estreou a era dos mais assistidos, os conhecidos blockbusters, no ranking de mais assistidos a produção é a terceira mais vista no Brasil, em segundo lugar vem “Titanic” (1998) e depois “Vingadores: Guerra Infinita” (2018). Os filmes brasileiros de comédia sempre fizeram sucesso, como “O Jeca Macumbeiro” com Mazaroppi, e “O Trapalhão na Ilha do Tesouro”, com o humorista Renato Aragão e sua turma.

No ano de 2018, o número de salas de cinema bateu o recorde, com 3.356 salas. Quem está no topo do ramo é a empresa americana Cinermark, mas quem está inaugurando mais salas atualmente é a Cinépolis, concorrente de terras mexicanas. Em 2018, a empresa mexicana inaugurou diversas salas, foram 22 lançamentos. Nesse ano, ainda existem planos para que mais 49 salas tenham a sua estreia, o que seria mais uma razão para comemorar os 10 anos de presença no Brasil. Os investimentos da Cinepólis no país chegarão a R$ 800 milhões.

Ainda que o Brasil contasse com diversas empresas no ramo, a Cinepólis conseguiu conquistar o seu espaço. De acordo com o presidente da companhia, Luiz Gonzaga de Luca, o ciclo de maturação da empresa precisa de tempo, quando a empresa chegou no país teve que se deparar com diversas redes que já dominavam o mercado. No estado de São Paulo, na zona leste, a empresa conta com um cinema que está entre os 30 com mais frequência no Brasil. Sendo líder na América Latina, a companhia no mercado brasileiro ocupa o segundo lugar.

Além das sessões, serviço essencial dos cinemas, existem outros produtos vendidos como alimentos e bebidas. O aluguel da sala para eventos e espaço publicitário, incrementam os ganhos nos negócios. Atualmente, o potencial de consumo está sendo cada vez mais explorado com a venda de champanhe, por exemplo. A primeira tela de LED em cinemas do país foi introduzida pela Cinepólis, que também pretende atingir o público do mercado de luxo.