Mais da metade dos deputados acreditam que tributos estimulam pirataria

Um novo levantamento realizado pela Capital Político em uma parceria com o IBPAD (Instituto Brasileiro de Pesquisa e Análise de Dados) revelou que dois terços dos deputados que compõem o Congresso Nacional acreditam que a alta carga tributária enfrentada pelos consumidores brasileiros faz com que haja um estímulo maior para a fabricação de produtos falsificados e contrabandeados.

O estudo levantado pelo IBPAD e pela Capital Político contou com a participação de 136 deputados federais para que o levantamento de dados fosse realizado. Os dados levantados foram divididos em diferentes informações, sendo uma delas os blocos que representam o Congresso Nacional, sendo eles: oposição ao governo, não alinhadas e o governo em si.

Considerando apenas os deputados que representam o governo atual, 90% deles acreditam na relação de tributos e contrabando. No caso da oposição, poucos deputados apresentaram uma opinião de associação entre esses dois fatores. Por isso, grande parte da oposição do governo acredita que os impostos não contribuem para a venda de produtos considerados ilegais.

Os dados divulgados nas notícias ainda revelaram que 72% dos deputados entrevistados acreditam que a pirataria deve ser combatida com ações que vão além da repressão policial. Na opinião desses deputados, é preciso rever o sistema tributário para melhorar esse cenário. Entre a oposição ao governo atual, os deputados alegaram em 82% que é necessário realizar algum tipo de reforma em relação a pirataria.

O Ministério da Economia já tinha divulgado notícias neste ano revelando que em 2018 a carga tributária representou 33,58% do PIB (Produto Interno Bruto) do país. Mesmo com a Reforma da Previdência em maior evidência, a equipe econômica do atual governo já aponta a necessidade de estruturar diversos setores da economia para melhorar o desempenho econômico do país.

De acordo com informações divulgadas pelo governo federal, há grandes chances de uma reforma tributária após resolução da reforma da previdência. Essa questão tem sido levantada por diversos governantes. Na opinião dos deputados que responderam ao levantamento, esse tipo de mudança teria impacto real no contrabando e na pirataria praticada em todo o país.