Pesquisa aponta que 65% dos brasileiros preferem guardar dinheiro na poupança

Mesmo com rendimentos menores, a poupança ainda é a modalidade de investimento mais escolhida pelos brasileiros. De acordo com os dados divulgados pela CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas), a poupança foi apontada pelos brasileiros como a modalidade favorita para guardar dinheiro. A pesquisa realizada pela CNDL e pelo SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito), apontou que 65% das pessoas entrevistadas utilizam a poupança para guardar dinheiro.

Dentre as formas de guardar dinheiro citadas pelos brasileiros na pesquisa, a CNDLapontou que 25% dos entrevistados afirmaram guardar valores em casa. Mesmo sendo perigoso para quantias altas, essa é a segunda forma de guardar dinheiro mais utilizada pelas pessoas. 20% dos entrevistados afirmaram deixar o dinheiro na conta corrente, e os investimentos em previdência privada e Tesouro Direto são hábitos de 8% dos entrevistados como método para guardar dinheiro.

Segundo as notícias divulgadas pela CNDL e pelo SPC Brasil, o perfil conservador é o que explica esses números em investimentos pouco rentáveis. Os entrevistados apontaram diversos motivos que os impedem de procurar por rendimentos mais vantajosos, dentre eles estão: preferir aplicações com saque facilitado (citado por 28% dos entrevistados), não ter dinheiro sobrando para outros investimentos (28%), costume (20%), por medo de perder dinheiro investido (17%).

Para Roque Pellizzaro Junior, que é presidente do SPC Brasil, é preciso mudar conceitos e paradigmas sobre investimentos. “O povo brasileiro precisa abandonar certos conceitos, crenças e paradigmas em torno das aplicações e explorar novas oportunidades de investimentos com os quais não estão acostumados ainda. Se a intenção é aplicar o dinheiro por um longo tempo, existem muitas outras modalidades de investimentos que podem oferecer resultados mais relevantes”, explica Pellizzaro.

Além dos investimentos preferidos dos brasileiros, a pesquisa também apontou quais são os principais objetivos dos valores guardados pelos entrevistados. De acordo com os dados divulgados, mais da metade (60%) afirmou que guarda dinheiro para se proteger financeiramente em casos de imprevistos com despesas inesperada, principalmente com saúde ou desemprego.

O estudo também mostrou que esse objetivo é confirmado pelos entrevistados quando a pergunta é o motivo dos saques realizados na poupança. Os dados mostraram que 40% dos entrevistados já tiveram que sacar valores da poupança para cobrir despesas inesperadas.